Arquivo da tag: economia

Redução de IPI prorrogada

O ministro Guido Mantega anunciou a prorrogação da redução do IPI (Imposto sobre produtos industrializados) para materiais de construção até 31 de dezembro de 2010.

Ótima noticia para o setor que esta aquecido com um crescimento de 16,31% no primeiro bimestre deste ano, e que deverá continuar assim, desde que não tenhamos nenhuma novidade negativa na economia mundial nos próximos meses e claro não seja confirmado o aumento da taxa básica de juros.

 Abaixo segue a lista dos produtos contemplados:

MATERIAL REDUÇÃO DO IPI
Cimentos aplicados na construção 4% para 0%
Tintas e vernizes dos tipos aplicado na construção 5% para 0%
Massa de vidraceiro 10% para 2%
Indutos utilizados em pintura 5% para 2%
Revestimentos não refratários do tipo dos utilizados em alvenaria 5% para 0%
Aditivos preparados para cimentos, argamassas ou concretos 10% para 5%
Argamassas e concretos para construção 5% para 0%
Banheiras, boxes para chuveiros, pias e lavatórios de plástico 5% para 0%
Assentos e tampas, de sanitários de plástico 5% para 0%
Caixas de descarga e artigos semelhantes para usos sanitários ou higiênicos, de plásticos 5% para 0%
Pias, lavatórios, colunas para lavatórios, banheiras, bidês, sanitários, caixas de descarga, mictórios de porcelana 5% para 0%
Pias, lavatórios, colunas para lavatórios, banheiras, bidês de cerâmica 5% para 0%
Grades e redes de aço, não revestidas, para estruturas ou obras de concreto armado ou argamassa armada 5% para 0%
Outras grades e redes de aço, não revestidas, para estruturas ou obras de concreto armado ou argamassa armada 5% para 0%
Pias e lavatórios, de aços inoxidáveis 5% para 0%
Outras fechaduras; ferrolhos 5% para 0%
Partes Cadeados, fechaduras e ferrolhos 5% para 0%
Dobradiças de qualquer tipo (incluídos os gonzos e as charneiras) 5% para 0%
Outras guarnições, ferragens e artigos semelhantes para construções 10% para 5%
Válvulas para escoamento 5% para 0%
Outros dispositivos dos tipos utilizados em banheiros ou cozinhas 5% para 0%
Disjuntores 15% para 10%
Chuveiro elétrico 5% para 0%

INCC de Novembro de 2009

O INCC – Índice Nacional da Construção Civil de novembro de 2009 confirmou a tendência de aumento dos últimos meses e subiu 0,18% em relação ao mês anterior. O acumulado no ano é de 3,01%.

Destaque para a mão de obra que teve a maior alta passando 0,06% para 0,21% neste mês. Em relação ao fechamento do INCC acumulado do ano passado deveremos ter uma pequena redução este ano, se mantivermos as mesmas projeções para dezembro.

INCC de Outubro/2009

O Índice Nacional da Construção Civil (INCC) de outubro de 2009  subiu 0,13% em ralação ao mês anterior, agora o acumulado no ano é de 2,82%.

Ao que parece iremos fechar o ano com o INCC acumulado de 2009 com uma redução em relação ao ano de 2008.

Vamos aguardar…..

Empresas de cartão de crédito sob nova ameaça de processo

Novamente as duas principais empresas credenciadoras de cartão de crédito estão sobre ameaça de novo processo. Agora é a vez da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas – CNDL, que pretende ir à justiça caso a MP460/09, aprovada no dia 07 de julho pelo senado não venha a sair do papel. A CNDL alerta para a formação de cartel e abuso de poder econômico sobre Visanet e Redecard que juntas detém mais de 90% do mercado. Demorou muito para que houvesse a mobilização que estamos vendo agora, pois há tempos o comerciante vem reclamando das condições contratuais impostas pelas operadoras. A questão não deve ser tratada como um problema a ser resolvido apenas entre as operadoras e os comerciantes, visto que suas conseqüências afetam a toda a população com os custos dos produtos ofertados, na tentativa de cobertura das taxas. Não é justo que as operadoras fiquem com 4% do PREÇO BRUTO, em média. Taxa que é cobrada sobre toda cadeia, desde o custo do material, impostos, custos fixos até a margem de lucro do estabelecimento. Deixa-me perplexo quando vejo associações de defesa do consumidor se levantando contra os “lojistas”, argumentando que desde que o estabelecimento aceitou as condições contratuais da operadora ele tem por obrigação arcar com estes custos. E mais dizer que depende única exclusivamente da sua vontade colocar este custo na formação do preço de venda da mercadoria. Espero que de alguma forma essa série de postagens que comecei no dia 14 de julho contribuía para esclarecer algumas das questões que envolvem o mercado de cartão de crédito e débito nacional.